Lorem ipsum dolor sit amet

julho 4, 2019 / Destaque, Geral, Notícias

Não é raro edíficios residenciais e comerciais terem problemas com dívidas condominiais. Sempre existe aquele condômino que não paga em dia as taxas de manutenção. Ao contrário das outras opções de cobrança, o protesto de dívidas em cartórios é barato, rápido, eficiente e seguro.

Para ter acesso a essa modalidade de cobrança, basta que síndicos ou administradoras de condomínios firmem convênios com o Instituto de Estudos de Protesto de Títulos do Brasil. A entidade se encarrega das cobranças extrajudiciais previstas em lei federal. Apenas na Paraíba, são 86 cartórios encarregados de recuperar créditos.

O gerente comercial da seção paraibana do IEPTB, Erick Ribeiro, explica a escolha pelo protesto extrajudicial deve ser feita em assembleia geral dos condôminos. Segundo ele, após a decisão colegiada, a dívida pode ser enviada para cobrança em cartório independentemente do prazo estipulado para a recuperação. “Quem define o prazo são os condôminos, via assembleia ou as administradoras dos condomínios”, esclarece.

Convênio

São dois os tipos de convênio que podem ser celebrados com o Instituto de Protesto, explica Ribeiro. Um deles é feito com administradoras como USE, ELLO, PECON, entre outras. Nesse modelo, os condôminos podem aderir aos contratos das administradoras e elas podem fazer os lançamentos da recuperação de crédito. 

“Outra possibilidade é o condomínio nos contactar diretamente, firmar o convênio conosco e o próprio administrador faz a solicitação de recuperação de crédito via cartório”, complementa o gerente.

Segundo ele, a cobrança extrajudicial proporciona grande economia para os condomínios ou para administradoras, diretamente. “Hoje, as custas dos cartórios são postergadas. Antes, para lançar uma dívida, era necessário pagar as custas cartoriais antecipadamente (os emolumentos cartoriais). Hoje, não é mais necessário. Quem assume a dívida é o devedor.”

Erick frisa, ainda, que há uma grande diferença entre os cartórios, a custo quase zero, e as empresas de cobranças. “As empresas de cobrança exigem entre 25% e 30% do valor da dívida (como pagamento pelos serviços), com percentual de recuperação entre 10% e 12%. Hoje, temos um percentual de 60% a 65% de dívidas recorrentes de recuperação”, finalizou.

Quer saber mais?

O Instituto de Estudos de Protesto de Títulos do Brasil, Seção Paraíba, fica localizado à Rua Afonso Campos, 110, Centro de João Pessoa e maiores informações sobre os convênios podem ser obtidas através do e-mail contato@protestoparaiba.com.br ou pelo número (83) 3222-1587.

Fonte: EstadoPB

Posts Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *